Buscar

Por falta de médico no Cais de Campinas, vereadora defende descentralização do atendimento



A vereadora Priscilla Tejota (PSD) que é presidente da comissão de saúde e assistência social, visitou neste sábado (27), a pedido de um grupo de conselheiro tutelares, o Centro de Atenção Integrada à Saúde (Cais) do Setor Campinas, para conferir as condições de atendimento na pediatria da unidade de saúde.


Ao chegar no Cais, a parlamentar encontrou a recepção lotada de crianças aguardando e apenas um médico para assistir todas as demandas. “Só tem um médico atendendo na ala de pediatria hoje e ele não aceita o preenchimento de fichas médicas para atendimento. Ele foi orientado a cuidar a somente dos pacientes na internação”, disse a parlamentar.


De acordo a vereadora, crianças em estado grave aguardavam encaminhamento par outros hospitais ou para serem submetidas a exames, mas, por falta de profissional, estavam esperando. Além disso, a Priscilla ouviu dos servidores o sobrecarregamento de atividades, devida a falta de estrutura e pessoal. “Os funcionários estão reclamando das péssimas condições de trabalho, por conta do grande volume de atendimentos nessa unidade, estão trabalhando no limite”, informou.


Muitos pacientes estão sendo orientados a procurar outras unidades de saúde em Aparecida de Goiânia ou Senador Canedo porque não tem atendimento no Cais de Campinas, disse a vereadora. “Encontrei uma mãe com uma criança no corredor que está aqui pela segunda vez. Primeiro falaram que era uma virose e deram medicação. Depois, mesmo sem condição, ela pagou por uma tomografia e descobriu que a criança está com dois tumores. Está no terceiro dia aguardando encaminhamento para o Hospital Araújo Jorge. A criança não dorme, só fica sentada e assim são vários casos”, contou Priscilla.


O conselheiro tutelar Diego Peres afirmou que espera uma solução o mais rápido possível, por parte do município, para garantir o direito das crianças de receberem atendimento médico e a presença de mais profissionais. “Não é mais possível aceitar a resposta da secretária Fátima Mrué de que está tudo bem. O que tiver que fazer, nós vamos fazer”, declarou Diego.


Providências

A vereadora revelou que irá recorrer ao Centro de Apoio Operacional da Saúde (CAOSAÚDE) do Ministério Público Estadual para solicitar a imediata descentralização do atendimento pediátrico no Cais de Campinas. “Não podemos conviver mais com essa situação, em Goiânia. Isso é um Caos. Não podemos presenciar mais o sofrimento dessas mães e dessas crianças. A secretária de Saúde Fátima Mrué e o prefeito Iris Rezende têm que tomar providência imediata de colocar médicos emergencistas nas outras unidades de saúde para atender as crianças”, expressou.


Delegacia

A pedido de alguns pais que já tinham passado por diversas unidades de saúde e não conseguiram atendimento, a vereadora Priscilla Tejota foi até a delegacia, acompanhá-los no registro de um boletim de ocorrência pela falta de atendimento. A delegada de plantão e registrou a como notícia como fato atípico, para posterior encaminhamento ao Ministério Público a fim de que seja tomadas as providências necessárias.

small-horizontal-white.png

CÂMARA MUNICIPAL DE GOIÂNIA - Gab. 15                                     Vereadora Priscilla Tejota                                        priscillatejota@camaragyn.gov.br                    (62) 3524-4305